O PROTAGONISMO FEMININO

Por Rosa Bernhoeft

Ao longo das últimas décadas nos aproximamos muito da população feminina nas organizações, atuando no desenvolvimento de projetos de Coaching, Preparação de Liderança, com destaque ao Mentoring pela sua profundidade e abrangência ao tratar dos temas – Vida e Carreira.

É a nossa crença que o sucesso da liderança feminina não é diferente da liderança masculina pois, a liderança transcende questões como gênero, realidade social e ideologias que se sustentam como um processo integrado de Protagonismo, para qual o Mentoring é a ferramenta de maior potência e destaque.

O Mentoring ajuda as mulheres a atuarem em seus diferentes papéis, sendo necessário encontrar um propósito uma causa ou significado que orientem as transformações e benefícios para todas, é fato que as mulheres protagonistas serão líderes que atuarão proativamente, e sem medo de exposição.

O fenômeno da liderança, é apoiado pela mandala da Jornada Evolutiva do Protagonismo, desenvolvida por Rosa Bernhoeft que constitui em um ciclo composto por seis importantes momentos descritos a seguir:

1. Consciência: aprofundar o sentimento e o conhecimento de quem eu sou, de onde estou, qual o contexto que me rodeia, quais as necessidades e quais os papéis que sou chamada a desempenhar. Para fundamentar as minhas respostas terei que conjugar o verbo Ser em sua essência e me descrever com os adjetivos que apoiem a forma que eu desejo que o mundo me reconheça. Quanto maior a minha amplitude de consciência, maior a possibilidade de formular propósitos e protagonizar o que realmente desejo.

2. Atitude: De que lugar e de que modo eu vou me tornar protagonista, buscando em mim um senso de capacidade e de valor e eliminando crenças depreciativas à minha autoestima? A atitude requerida no protagonismo valoriza as oportunidades, as alternativas e as capacidades; e busca soluções, possibilitando assim enxergarmos a realidade de maneira positiva, e criando condições de atuação com base na confiança.

3. Propriedade: Eu me aproprio e reconheço a propriedade de todos os meios que possuo, como o tempo, o conhecimento, as emoções, a inteligência etc.? E decido sobre a sua aplicação e uso, propiciando o fortalecimento do meu papel e do meu protagonismo? Estabelecer ambientes sadios para as relações, convivência positiva entre indivíduos diferentes, seja por sua linguagem ou por questões culturais, sociais, étnicas e ideológicas, se dá quando respeitamos as propriedades do outro e as utilizamos na melhoria dos contextos onde elas se encontram. O senso de propriedade fortalece o desempenho do papel, o estabelecimento de limites justos e abre oportunidades para o protagonismo de todos.

4. Evolução: A ampliação da consciência, a existência de uma atitude protagonista e o senso de propriedade aguçado, geram naturalmente um processo evolutivo, que tem como propulsores a curiosidade constante e o inconformismo criativo, por conter dentro deles motivações e necessidades para a construção de um amanhã melhor do que hoje. A curiosidade é fundamental para a descoberta do novo, cria oportunidades, soluções diferenciadas para uma nova realidade, dando origem a novos comportamentos e novas competências, resultando em mudanças. Por outro lado, o inconformismo criativo elimina a possibilidade da cristalização de métodos, hábitos etc., que definiram nossa chegada ao momento atual e podem ser grandes impeditivos de inovação, reinvenção e recriação.

5. Escolhas e desafios: A partir do processo evolutivo uma nova realidade é criada no modo de exercer a liderança, o que traz consigo um estado de inovação, uma disposição para colaboração e uma saída do contexto individual para uma consciência de grupo, capaz de aderir a uma causa, um projeto, e dar significado a obra comum. Estas escolhas definirão o que eu quero ser neste mundo e levarão a uma questão de reafirmação da minha identidade. Meu protagonismo passa por essas escolhas e pelos acordos que eu vou fazer com o mundo. 

6. Projeto: É necessário atribuir a cada desafio uma razão de ser para mim e para o contexto. Sendo assim, o desafio de uma liderança feminina está em aproveitar a sensibilidade, emotividade e percepção sobre os fenômenos humanos para caracterizar o sucesso da obra que foi construída, desafiar o novo e tangibilizar o seu propósito com o da equipe.

O sucesso então será a concretização do propósito em um resultado, projeto ou obra de vida, como mãe, como profissional, como cidadã. O protagonismo, de acordo com esta mandala, passa por uma jornada que está em constante evolução e será testado a todo momento para reafirmar se sou proprietária, se a minha atitude está correspondendo em alguns dos tópicos e se estamos em um movimento circular que se inicia e reinicia e me desafia para poder me reinventar. A consciência que tenho dos meus papéis de líder, cidadã, profissional, mãe estão me levando a um protagonismo nesses papéis de acordo com as atitudes que eu tenho em relação à vida? A líder será um exemplo e a equipe que a apoia será capaz de replicar o que ela faz na formação de outras líderes protagonistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *